Dayane Senna - Assessoria de Comunicação

Dayane Senna - Assessoria de Comunicação

e2e8c947 4134 481e 8a1e 90bc880f08a4Dayane Senna
Assessoria UCMMAT    

Com o intuito de fortalecer a União das Câmaras Municipais de Mato Grosso (Ucmmat), o presidente da Câmara Municipal de Vila Bela da Santíssima Trindade, vereador Clodoaldo Miranda da Cruz assinou na manhã desta segunda-feira (18.03), o termo aditivo onde altera o valor do repasse para a entidade.

O ato contou com a presença do presidente da Ucmmat, vereador Edclay Coelho, que também faz parte da Casa de Leis do município. O gestor irá visitar todas as Câmaras do estado, com o objetivo de resgatar a instituição.

“Me sinto honrado com a atitude da Câmara de Vila Bela, tenho orgulho de fazer parte desta Casa, que está nos dando este voto de confiança, e esta mensagem iremos levar para todas as Câmaras de Mato Grosso, a Ucmmat passa por um momento de mudança, e isto só será possível se todos os vereadores abraçar a causa e caminhar junto conosco”, salientou Coelho.

Na assinatura do termo, o presidente da Câmara, vereador Clodoaldo Miranda da Cruz salientou sua confiança na nova gestão da UCMMAT e acredita nas mudanças que serão realizadas pela nova diretoria. Estiveram presentes no ato, o vice-presidente da Câmara, vereador Everaldo Coelho juntamente com o primeiro-secretário, vereador Elias da Conceição Silva.

 

36647O suplente de vereador Pedro Fernandes de Góis (PSC) assumiu na manhã desta sexta-feira (15), uma vaga na Câmara de Vereadores de Lucas do Rio Verde.

A cerimônia de posse foi realizada pelo presidente, vereador Dirceu Cosma (PV) e o vice-presidente, Fernando Pael (DEM). Pedrinho, como é conhecido, assume o lugar do vereador Airton Callai (PRB), licenciado por 30 dias.

Segundo Pedro de Góis, apesar do pouco tempo, este período na Câmara, será a oportunidade de trabalhar pela sociedade e honrar os 763 votos que recebeu nas eleições de 2016.

"Estamos aqui pra contribuir. Tenho experiência como vereador e espero receber informações e sugestões da população, para que a gente possa transformar em indicações e projetos de lei."

Góis foi eleito vereador por dois mandatos. Em 2016, ficou como segundo suplente na coligação "Atitude e Inovação I".O primeiro suplente, Gilson Baitaca (PSB), ocupa a vaga da vereadora Márcia Pelicioli, que também se licenciou por 30 dias.

Por MT Agora

beto souza 300x184Pernambuco – O vereador Alberto Carlos de Souza, mais conhecido como Beto Souza, foi assassinado neste domingo (17) por volta das 13h após sofrer uma emboscada na Fazenda Tabuado, na zona rural de Floresta, no Sertão de Pernambuco. O florestano Beto Souza tinha 51 anos e recentemente completou 18 anos de atuação como vereador de Floresta, sendo duas vezes presidente do legislativo.

Segundo informações, Beto, teria descido do veículo dele para falar com populares quando um veículo modelo Corolla, de cor preta,  encostou ao lado e os algozes da vítima efetuaram vários disparos de arma de fogo, atingido o vereador Beto e um amigo dele conhecido como Duda Nunes, de 30 anos. Duda Nunes chegou a ser socorrido para o Hospital Municipal de Floresta, mas não resistiu aos ferimentos e faleceu.

As motivações para o crime são desconhecidas. Ninguém foi preso até a publicação desta matéria. A Polícia Civil investiga o caso.

Em fevereiro de 2015, um irmão do vereador Beto Souza também foi assassinado a tiros em Floresta. Em tempo em que só se fala da morte da Vereadora Marieli Franco, Beto Souza é o 25° vereador assassinado nesta legislatura.

Veja a lista dos políticos com mandatos municipais assassinados desde o ano passado:

2017 – 15 Vereadores e 04 Prefeitos

  • Alexandro Pereira da Silva, vereador de Santa Helena de Minas (MG)
  • Francisco Vicente de Souza, prefeito Candeias do Jamari (RO)
  • Antônio Marcos dos Santos, vereador de Santo Antônio do Monte (MG)
  • Paulo Chaves Marinho, vereador de Rio Maria (PA)
  • Diego Kolling, prefeito de Breu Branco (PA)
  • Jones William, prefeito de Tucuruí (PA)
  • Manoel Francisco Soares Almeida , vereador em Pau d’Arco (PA)
  • Adelmo Rodrigues de Melo, vereador em Batalha (AL)
  • Fabiano de Freitas Figueiredo, vereador de Guará (SP)
  • Tony Pretinho, vereador em Batalha (AL)
  • Esvandir Antônio Mendes, prefeito de Colniza (MT)
  • Kedson Rodrigues, vereador de Governador Nunes Freire (MA)
  • Jailton Martins de Carvalho, vereador de Carira (SE)
  • Wilson Portilho da Cunha, vereador licenciado de Goianésia (GO)
  • Jucely Alves Arrais, vereadora de Aiuaba (CE)
  • Ademir Carlos Patel, vereador de Brunópolis (SC)
  • José Roberto Cavalcante, vereador de Tomé-Açú (PA)
  • Nerivan de Oliveira Silva, vereador de Craíbas (AL)
  • Miguel Sampaio Soares, vereador de Anajatuba (MA)

 2018 – 09 Vereadores

  • Jorge Cunha, vereador de Apicum-Açu (MA)
  • Elton Alexandre de Aguiar Matta, vereador de Barra do Jacaré (PR)
  • Miguel Calixto, vereador de Barra do Jacaré (PR)
  • Marielle Franco, vereadora do Rio de Janeiro (RJ)
  • José Célio Soares da Silva – vereador de Palmeirina(PE)
  •  Luiz dos Passos – vereador de Igarassu(PE) 
  • Cosme Alves da Silva, “Nicó do Cimento” – vereador de Carpina(PE)
  • José Roberto de Oliveira Martins – presidente da Câmara de Itaitinga (CE)
  • Silvânio Barbosa – vereador de Maceio – 08/09

2019 – 01 Vereadores

Carlos Alberto Souza – Beto Souza – vereador de Floresta/PE – 17/03

Por  UVB

cf396d653e1bc49863236dd1971c18e7O Tribunal Regional Eleitoral de Mato Grosso informa que o horário de atendimento ao público no posto eleitoral instalado em Bom Jesus do Araguaia será das 07h30 às 11h30, dos dias 11 de março a 23 de abril. 

Ainda de 11 de março a 23 de abril haverá expediente interno no posto eleitoral, no horário compreendido das 13h30 às 17h30. Nesse período a servidora laborará exclusivamente para entrega de ofícios, informações aos mesários e candidatos e demais procedimentos relacionados às eleições suplementares, que acontece no município no dia 07 de abril.

A Justiça Eleitoral informa ainda, que os eleitores que votam na Creche Municipal Jarbas Teodoro Fróis foram transferidos para a Escola Municipal de Educação Infantil Santa Marta. A mudança é temporária e só será válida para a eleição suplementar.

No dia 07 de abril, 4.4668 eleitores de Bom Jesus do Araguaia devem ir às urnas para escolher o prefeito e o vice-prefeito que irá comandar o Poder Executivo do município até dezembro de 2020. Disputam o cargo de prefeito: Ronaldo Rosa de Oliveira e Silvio Maria Dantas.

Por Folha Max

e363efb080651177c903fe50573a0a66O Tribunal de Contas do Estado (TCE) rejeitou a denúncia de ilegalidade proposta pelo Ministério Público e manteve o ex-deputado Guilherme Maluf (PSDB) no cargo de conselheiro de contas. A decisão do julgamento singular da representação de natureza externa com pedido de medida cautelar foi publicada na edição do Diário Oficial de Contas de sexta-feira (15).

Os promotores Clóvis de Almeida Júnior e André Luís Almeida alegaram que a Assembleia Legislativa e seus deputados José Eduardo Botelho (DEM), Paulo Araújo (PP), Romoaldo Júnior (MDB), Luiz Amilton (PV), Wilson Santos (PSDB) e Silvio Favero (PSL) não observaram o devido processo legal quando indicaram o então colega para a "vaga de privilégios e remuneração equivalentes a de um desembargador na corte de contas". Para os membros do MPE, a grave ilegalidade se deu na  fase interna do procedimento de indicação, quando na sessão  do dia  19 de fevereiro presidida   por   Wilson   Santos,   a   lista   dos   indicados   para   o cargo   foi   entregue   sem qualquer   publicidade,   por   meio   de   envelopes   lacrados,  contrariando o que dispõe a  Lei 12.527/2011 e   que, logo   após   o fim da  sessão, os indicados já eram divulgados em um site de notícias.

Para os promotores, seria um ato irregular por parte do presidente da Assembleia. Também apontaram o que seriam, classificação dos promotores, “fatos estranhos” que  também acabaram divulgados em diversos meios de comunicação, como a rejeição dos nomes dos deputados Dilmar Dal Bosco,  Sebastião Rezende,   Max Russi e do contador Luiz Mario   na disputa da vaga por insuficiência de documentos e revogação pelo relatório apresentado pelo deputado Silvio Favero.

E mais: para os procuradores o fato de os deputados da comissão indicadora ignorarem completamente o mandado de segurança impetrado pelo também deputado Ulysses Moraes por suspeita de fraude no rito de escolha e a acusação por parte da deputada Janaina Riva de fraude no parecer da Comissão de Constituição, Justiça e Redação já ensejariam o suficiente para impugnar o ato que deu a Maluf a cadeira no conselho do TCE. Segundo a tese dos promotores defendida na ação, os deputados deliberadamente manipularam e direcionaram as ações, documentos e o rito com o propósito de colocar Guilherme Maluf como único entre os candidatos  a preencher todos os requisitos exigidos.

O MPE também lembrou que há uma denúncia com pedido de afastamento correndo no  Tribunal de Justiça de Mato Grosso inicialmente rejeitada, mas ainda não encerrado porque seu mérito ainda não foi analisado e, portanto, continua sub judice e com recurso para ser rediscutida. Essa denúncia, aliás, foi baseada nas implicações criminais de Maluf no âmbito da Operação Rêmora, do Grupo de Atuação Especial contra   Crime   Organizado  (Gaeco), no qual a ele são imputados nada menos que  23  crimes.

Depois de tudo isso, seguiu o MPE, não havia como a Comissão de Constituição, Justiça e Redação (CCJR) apresentar uma certidão positiva sobre a não existência de inquéritos cíveis e ou criminais em nome de Guilherme Antônio Maluf, e essa condição era obrigatória para validar a candidatura à vaga, juntamente com certidões negativas de antecedentes criminais e, por fim, Maluf também tem processos de julgamento de prestação de contas ainda pendentes no próprio TCE, “o   que   coloca   em   suspeição   uma possível condenação de restituição de valores”.

DECISÃO

O relator do caso no TCE, conselheiro Isaías Lopes da Cunha, rejeitou todas as argumentações afirmando que o presidente da Corte de Contas, Domingos Neto, deu posse a Guilherme Antônio Maluf no cargo dia 1º deste mês somente após a indicação da Assembleia e a sanção do governador Mauro Mendes (DEM) sem qualquer espécie de interferência do TCE nesse processo. Além disso, mesmo que quisesse, o TCE não teria foro adequado para destituir Maluf, pois isso estaria fora das competências legais do orgão, cabendo agora a instâncias superiores, no caso, o Superior Tribunal de Justiça (STJ).

“Assim, após nomeação e posse no cargo, os conselheiros do Tribunal  de Contas do Estado têm as   mesmas garantias, prerrogativas, vedações, impedimentos,   remunerações   e   vantagens   dos   desembargadores,   nos   termos   do   art.   50,   da Constituição   do   Estado   de   Mato   Grosso,   só   podendo   perder   o   cargo   por   sentença   judicial transitada em julgado. Nesse   sentido,   compete   ao   Superior   Tribunal   de   Justiça processar e julgar membros dos Tribunais de Contas dos Estados, nos termos do artigo 105, “a”, da Constituição Federal. Dessa   forma,   escapa   à   competência   deste   Tribunal   de Contas determinar a suspensão do exercício do cargo de Conselheiro nomeado e empossado por supostas ilegalidades na sua indicação,  bem como a anulação de todo o processo de escolha e dos   demais   atos   dele   decorrentes   praticados   pela  Assembleia   Legislativa,   pelo   Governador   do Estado e pelo Conselheiro Presidente do Tribunal de Contas do Estado”, escreveu o conselheiro.

Esta é a terceira vez que Maluf consegue preservar seu cargo na justiça, pois já houve contra a permanência dele no TCE uma  Ação   Civil   Pública e o pedido de liminar interposto pelo deputado Ulysses Moraes. Para encerrar, na visão de Isaías, a condição de réu em  ação   penal   ou   seu   envolvimento   em  processo administrativo de tomada de contas, “em razão do postulado da presunção de inocência, não traz consigo de maneira automática a inidoneidade moral. Coube aos deputados estaduais entender tal condição como   reprovável para a assunção   ao   cargo   de   conselheiro,   contudo,   como   visto,   por maioria assim não o fizeram”.

Por Folha Max

depositphotos 161245554 stock photo security gates or metal detectorsO vereador Thiago Muniz (PPS), anunciou em sua rede social que irá apresentar um projeto de lei que prevê a instalação de detectores de metais na portas das escolas públicas e privadas de Rondonópolis (212 km distante de Cuiabá). A medida tem por objetivo evitar massacres como ocorrido nessa quarta-feira (13), na Escola Estadual Raul Brasil, no bairro Jardim Imperador, em Suzano (São Paulo).

No post publicado no Facebook, o parlamentar explicou que a alternativa é evitar casos de violências nos ambientes educacionais – em destaque dessa quarta-feira (13) -, quando dois atiradores invadiram a escola em SP em abriram fogo a esmo no horário de intervalo. Dez pessoas morreram, sendo que cinco delas eram alunos e os demais funcionário e uma testemunha que passava na rua, em frente a unidade pública. 

“Tá na hora de Rondonópolis ter detectores de metais nas entradas de todas as escolas, por isso vou apresentar um projeto de lei na Câmara Municipal nesse sentido! Infelizmente tem que ser assim”, escreveu Thiago Muniz. 

Massacre em Suzano 

Era um dia comum na cidade pacata do Estado de São Paulo, Suzano. Dois ex-alunos da Escola Estadual Raul Brasil, no bairro Imperador, identificados como Guilherme Taucci de Monteiro, de 17 anos, e Henrique Castro, de 25 anos, caracterizados de personagens de um jogo violento, invadiram a unidade educacional e abriram fogo contra dezenas de estudantes. 

Cinco dos alunos atingidos por tiros e objeto conhecido pelo nome de “besta”, além de duas funcionárias e um tio dos assassinos morreram. Após cometer a “atrocidade”, ambos os assassinos cometeram suicídio. 

A polícia local, em investigação preliminar, apurou que os suspeitos arquitetaram todo plano de ataque. Na residência de um deles, foi encontrado cadernos com as regras que a dupla deveria seguir. O caso segue sendo investigado.

Por O bom da Notícia

dc80aaced00f1d9fef156e6ee658430fO ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, garantiu nesta quinta-feira, 14, que irá empenhar os esforços necessários para manter o pleno funcionamento da Santa Casa de Misericórdia de Cuiabá. “Sou nascido em Mato Grosso, na cidade de Campo Grande, capital Cuiabá, em 1964. Não vou deixar a Santa Casa na mão” – disse o ministro, ao ouvir do senador Wellington Fagundes (PR-MT) relato da situação da unidade hospitalar, que anunciou a suspensão de internações desde a última segunda-feira, 11.
 
“Estou fazendo um pedido em nome da bancada federal e também dos deputados estaduais, como um todo, por uma solução” – acrescentou o republicano, que considerou como ‘inadmissível’ o fechamento de leitos hospitalares diante de um quadro crítico na área da saúde.
Segundo ele, o anunciado fechamento da Santa Casa gerará prejuízo, sobretudo, à população mais carente, que depende de atendimento médico-hospitalar gratuito. Desde a segunda-feira, 11, os atendimentos foram suspensos no hospital por falta de recursos e dívidas com fornecedores e trabalhadores. Diante da situação, a Câmara de Vereadores de Cuiabá pediu a intervenção do Executivo na unidade.  
Ainda conforme assessoria de Fagundes, na quarta-feira (13), ocorreu uma reunião da bancada federal e um dos assuntos abordados foi justamente a questão envolvendo a Santa Casa. Observou que a bancada federal está comprometida com a saúde pública e, no ano passado, decidiu alocar R$ 165 milhões da emenda de bancada para o setor.

Reunião:
 
Fagundes anunciou que na próxima segunda feira (18), deverá ocorrer uma reunião com o governador Mauro Mendes e também com o prefeito Emanuel Pinheiro, para definir um planejamento que possa dimensionar soluções de investimentos na saúde pública em Cuiabá.
“Sempre trabalhamos para melhorar o atendimento. Por isso é essencial o planejamento. Fizemos isso no Governo anterior, inclusive com audiência pública no Senado, mas não obtivemos as respostas. Esperamos avançar nessa questão agora” – observou. Wellington manifestou também preocupação com o funcionamento das unidades hospitalares em vários outros municípios do Estado.
 
Por Olhar Direto

53519609 989628711233208 1662955747249487872 nÉ com grande pesar que o presidente da União das Câmaras Municipais de Mato Grosso (Ucmmat), ver. Edclay Coelho, recebe a notícia do falecimento do ex-vereador por Arenápolis, Orestes Lima Damascena.

O ex-parlamentar exerceu o mandato de vereador no período de 1993 a 1996. Em nome de todos os vereadores do estado de Mato Grosso prestamos nossas sinceras condolências à família e amigos. Que Deus conforte o coração de todos.

Ver.Edclay Coelho
Pres. Ucmmat

WhatsApp Image 2019 03 12 at 18.28.54Dayane Senna
Assessoria UCMMAT

 O presidente da União das Câmaras Municipais de Mato Grosso (UCMMAT), vereador Edclay Coelho (PSD) se reuniu com membros da Mesa Diretora da entidade, no final da tarde desta terça-feira (12.03), para definir ações e estratégias da nova administração, eleita no dia 27 de fevereiro, em Cuiabá.

Na reunião, os parlamentares discutiram sobre a situação financeira e administrativa da UCMMAT, bem como os meios que serão adotados para resolver os problemas da instituição. “Nós estamos preparados para o trabalho, vamos buscar parcerias para resgatar a nossa entidade, já iniciamos o mandato com a criação da Sala do Vereador na Assembleia Legislativa, um ponto muito positivo para nós, que saímos da nossa cidade até Cuiabá para audiência com os deputados, agora teremos um espaço exclusivo para nos atender. Vamos arrumar nossa Casa e mostrar nossa força”, salientou o presidente.

O vice-presidente da entidade, vereador Valdenicio Anjos da Silva (PSC) “Vavá”, ressaltou que o momento é de conhecer a realidade da Casa e buscar mecanismo para solucionar. “A Sala do Vereador é muito importante para nós, um ganho para o legislativo municipal, a UCMMAT precisa do nosso esforço e trabalho, as parcerias são essenciais para que possamos resolver os problemas financeiros”, avaliou Vavá.52792998 607282619791095 1466241975895195648 n copiar

Após a reunião na UCMMAT, os vereadores se reuniram com parte da Mesa Diretora da Assembleia Legislativa, o presidente deputado Eduardo Botelho, a vice-presidente deputada Janaína Riva (MDB), 1º secretário, dep. Max Russi, 3º secretário, dep. Valmir Moretto e o deputado Thiago Silva. No encontro, o presidente Edclay Coelho tratou sobre a administração da Sala do Vereador, a solenidade de posse da Mesa Diretora da UCMMAT e a viabilização de recursos para a construção da nova sede da entidade.

Vereador Toninho de Souza Credito AssessoriaA Mesa Diretora da Câmara de Vereadores de Cuiabá decidiu, na manhã desta terça-feira (12), encaminhar ao prefeito Emanuel Pinheiro (MDB) pedido para que intervenha na gestão da Santa Casa da Misericórdia da Capital. O pedido foi defendido após reunião do Colégio de Líderes minutos antes da sessão e tem apoio da maioria dos 25 vereadores.

O rompimento entre o Parlamento Cuiabano e a direção do hospital filantrópico chegou ao ápice, após diligências da Delegacia Fazendária (Defaz), há uma semana, que impediram a prefeitura de cumprir com a liberação de quatro parcelas de R$ 3,5 milhões pela compra antecipada de serviços de saúde.

Por serviços não prestados, a Santa Casa já teria recebido cerca de R$ 24 milhões e não aplicado o dinheiro na saúde pública. A dívida total com fornecedores, funcionários e setores públicos chega a R$ 80 milhões. “Existe uma caixa preta na Santa Casa que precisa ser aberta e isso só se dará por meio de intervenção. Da forma como está não há como negociar mais na diplomacia”, disse Toninho de Souza.

O vereador do PSD, que criou o movimento ‘Santa Casa de Portas Abertas’ e conduziu as negociações do Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) que possibilitaria a liberação do recurso, lamentou a volta à estaca zero. “Infelizmente não há outra saída que não seja a intervenção. É preciso passar essa história a limpo, pois, os funcionários não podem continuar com cinco meses de salários atrasados, mais o décimo terceiro de 2018”, explicou.

“Voltamos ao ponto de partida. Caberá agora ao prefeito Emanuel Pinheiro decretar a intervenção. Tudo isso está acontecendo por culpa das diretorias recentes que não administraram bem, puseram as mãos em dinheiro público e transformaram a instituição em cabide de empregos”, falou Toninho ao defender a intervenção.

Entre os funcionários que se enquadram na prática de nepotismo com altos salários estão Luiz Otávio Preza, primo do ex-presidente Antônio Preza, além de Vitor Ramos, que é primo do também ex-presidente do hospital, Luiz Felipe Saboia. “Até quando os funcionários vão ficar sem salários? Quantas pessoas ainda vão morrer até que haja uma ação no âmbito do Ministério Público e da Justiça? O que fizeram foi caso de Polícia e deve ser tratado como investigação de crime organizado”, concluiu Toninho de Souza.

Por Assessoria

Página 1 de 25
© Todos os direitos reservados a UCMMAT