Dayane Senna - Assessoria de Comunicação

Dayane Senna - Assessoria de Comunicação

thumbs3 copiarEm tempos de diversões com Jogos online, filmes 3D e entretenimento diversos em celulares e computadores de última geração há uma arte que persiste e fascina  crianças , jovens e adultos ultrapassando séculos, originado do termo francês marionette, ou marionetes- fantoches é uma forma tradicional de apresentação artística. Quem está reforçando esta arte em nosso Estado é a Editora Paulus, coordenada pelos Padres e irmãos Paulinos, que estão há 39 anos em Cuiabá, e o professor Mário Nadaf , vereador da bancada verde na Câmara Municipal  busca resgatar a cultura em nossa capital . 
O Superviso de loja , Vanderson  Gonçalves, da Editora Paulus explica que há três anos a editora desenvolve um trabalho de incentivo a leitura com marionetes, nas escola publicas de Cuiabá . “trabalhamos através da música, poesia e contação de histórias, seguindo uma linha pedagógica que viaja pela leitura, canções e o exercício do imaginário”.
O Professor Mário esteve com Vanderson na Secretaria Municipal de Educação onde apresentou o projeto para levar até as escolas públicas. “Esta é uma forma de incentivo a leitura, principalmente junto às crianças, cultura e educação andando juntas, por isso faço questão de apoiar ’, frisa Mário. 
 
A Secretária-adjunta de Educação- Edilene de Souza Machado recebeu a ideia do projeto de forma positiva e se comprometeu  selecionar algumas escolas de Cuiabá que irão receber a ação.  “O projeto é muito bom, estaremos direcionando para algumas escolas do município”, afirma a secretária adjunta. 
No mês de março várias instituição de ensino receberão o projeto com o espetáculo  ‘ O Circo’.
ESPETÁCULO - O CIRCO
Um convite à valorização da arte e da brincadeira. 
Por meio da aproximação da criança ao universo do circo, ela vivenciará experiências de alegria, concentração, imaginação e muita expectativa.
O espetáculo tem um apelo artístico, onde cores, sons e luzes criam um cenário cheio de encanto. 
UM POUCO MAIS DA HISTORIA DE MARIONETES 
Esta arte há séculos fascina a muitos a história do teatro de marionetes surgiu na França durante a Idade Média. Na época, as marionettes eram chamadas de marion, um diminutivo para o nome próprio Maria. A marionete também era conhecida na cultura japonesa pelo nome de bunkaru, que eram apresentações de fantoches manipulados por varinhas. Esse tipo de utilização das marionetes pelos japoneses teve seu início no ano 1684. 
POR Elizângela Tenório 

7792Está pronto para votação no Plenário do Senado Federal o projeto que garante ajuda de custo para pacientes do SUS que necessitem de tratamento fora da cidade onde vivem. O PLS 264/2017, do senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP), prevê o pagamento para os gastos do paciente com alimentação, transporte e hospedagem.

O benefício valerá para deslocamentos superiores a 50 quilômetros. Para ter o direito garantido, é necessária indicação médica de tratamento em outra unidade mais distante e a autorização do gestor municipal ou estadual do SUS, aliada à garantia do atendimento na outra cidade. A ajuda só poderá ser paga após esgotados todos os meios de tratamento na cidade onde reside o paciente. Um acompanhante também poderá ter direito à ajuda, caso solicitado.

No entanto, antes de votar o projeto, os senadores devem analisar um requerimento (RQS 92/2018) apresentado por Sérgio Petecão (PSD-AC) que pode alterar a tramitação do texto. O senador solicita que a proposta seja analisada pela Comissão de Assuntos Econômicos (CAE) antes de passar pelo Plenário.

A legislação do SUS já prevê ajuda de custo aos pacientes que precisem se deslocar para outro município para obter tratamento de saúde, por meio do Tratamento Fora de Domicílio (TFD), previsto na Portaria 55/1999 do Ministério da Saúde. Contudo, segundo Randolfe, o benefício previsto é muito restrito, não sofre reajuste desde sua criação e pode ser extinto a qualquer momento. Por esses motivos, ele deseja regulamentar e aprimorar o auxílio no âmbito da lei.

Custos e restituição

O projeto estabelece que os recursos para a cobertura dos custos do paciente venham da União e, se necessário, sejam complementados por fundos dos estados, do Distrito Federal e dos municípios. Os valores pagos pela União serão pactuados entre os gestores do SUS e padronizados nacionalmente. O valor do benefício será reajustado anualmente de acordo com a inflação.

Na avaliação do relator na Comissão de Assuntos Sociais (CAS), senador Eduardo Amorim (PSDB–SE), a proposta traz “facilidades e apoio aos pacientes do SUS” e não aumenta “o escopo das obrigações do poder público quanto ao atual TFD”. Nesse sentido, as definições do projeto não implicariam aumento de despesas para a União.

O projeto também determina que pacientes e acompanhantes que não conseguirem o acesso à ajuda de custo em tempo de realizar o tratamento necessário terão direito à restituição de suas despesas, baseada nos valores fixados do benefício.

Por Agência Senado

15475870915c3e4e13704dc 1547587091 3x2 mdPrimeiro chefe de Estado latino-americano a discursar na abertura da sessão plenária do Fórum Econômico Mundial, em Davos, na Suíça, no dia 22, o presidente Jair Bolsonaro foi convidado para a reunião do International Business Council (IBC). O IBC se propõe a identificar os aspectos de negócios globalmente relevantes e desenvolver soluções práticas. É um órgão consultivo do fórum.

Todos os anos, o IBC seleciona um chefe de Estado ou de Governo para participar de uma conversa com os 100 CEO's (empresários) de destaque no cenário mundial. 

Bolsonaro também fará o discurso de abertura no jantar da América Latina e receberá 50 CEO's selecionados para um almoço sobre o Brasil. Haverá ainda um jantar do fundo de investimentos BlackRock.

Apontada como maior empresa do mundo em gestão de ativo, a BlackRock tem sede em Nova York e entre seus clientes há governos, pessoas jurídicas e físicas.

Política externa

O presidente aproveitará a oportunidade para demonstrar sua preocupação com o agravamento da crise na Venezuela, apresentar seu ponto de vista sobre globalização e sobre tecnologia e inovação. Um dos destaques, em Davos, no entanto, serão os aspectos econômicos, particularmente a abertura econômica.

Com uma agenda voltada para a defesa da abertura econômica, do combate à corrupção e do compromisso com a democracia, Bolsonaro embarca hoje (20) às 22h para Suíça.

Ele estará acompanhado pelos ministros da Economia, Paulo Guedes; das Relações Exteriores, Ernesto Araújo, e da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro.

Em sua 39ª edição, o Fórum Econômico Mundial reúne a elite política e econômica global para discutir a conjuntura mundial e estimular a cooperação entre governos e o setor privado.

Por EBC

031016 Workshop Finanças 8xA Agência de Fomento de Mato Grosso (MT Fomento) será transformada na Desenvolve MT, que terá as competências e atribuições ampliadas. Na área de crédito, a nova agência vai atuar com linhas de financiamento para micro e pequenas empresas, incluindo oferta à agricultura familiar, e para prefeituras. Também passa a ter seu escopo de gestão voltado à prospecção e atração de novos investimentos para Mato Grosso, além de participação em investimentos.

O projeto foi apresentado pelo secretário de Desenvolvimento Econômico, Seneri Paludo, durante o workshop sobre Governança Corporativa, realizado nesta quinta-feira (10), em Cuiabá. O Projeto de Lei está na Casa Civil e deverá seguir para apreciação da Assembleia Legislativa ainda neste mês. A mudança no escopo faz parte do plano de gestão estabelecido pelo governador Pedro Taques.

Segundo Paludo, no âmbito do crédito o objetivo é fomentar as linhas já existentes e criar novas, com condições atrativas. Além disso, serão desenvolvidas linhas de crédito para pequenos e médios empreendedores, inclusive do setor rural, como a agricultura familiar. O secretário adiantou que os juros médios ficarão em torno de 6,5%, bem inferior à taxa média de 14% praticada pelo mercado.   

Também será oferecida linha de crédito para prefeituras, que poderão acessar recursos por meio da Desenvolve MT para investimentos em projetos de infraestrutura, por exemplo.

Prospecção de negócios

A agência também trabalhará na prospecção e atração de novos investimentos, por meio de interlocuções com investidores, apresentação das potencialidades de Mato Grosso em feiras e eventos de negócios. No receptivo de empresários dará apoio aos potenciais investidores, na interlocução com órgãos públicos, com o objetivo de facilitar o processo de tomada de decisão e de implantação de novos empreendimentos no Estado.

A Desenvolve MT também prestará apoio aos empreendedores na identificação de locais para implantação de empresas levando em conta as necessidades de suas atividades, como mão de obra, infraestrutura, mercado consumidor, entre outros. Também incentivará as exportações dos produtores mato-grossenses e dará a articulação com os municípios visando identificar oportunidades e entraves para atração de novos investimentos

Já em relação a investimentos com participação do Estado, o foco é fazer com que Mato Grosso seja investidor e tenha participação em novos investimentos instalados no Estado, a exemplo do BNDESPar.

Estrutura da Desenvolve MT

Para o desenvolvimento deste trabalho três diretorias atuarão dentro da estrutura da Desenvolve MT: Prospecção e Projetos, que ficará responsável pela atração de investimentos; Finanças e Gestão, que cuidará das participações e gestão e, por fim, a diretoria de Desenvolvimento e Crédito, que ficará a cargo das operações de crédito.

A Desenvolve MT herdará a estrutura já existente da MT Fomento. Para efetivar sua criação será necessário alterar a legislação vigente da atual agência. 

“Temos o desafio de atrair novos investimentos para Mato Grosso e para isso precisamos consolidar o Estado como sinônimo de oportunidades e novos negócios. Precisamos ir além de fomentar e por isso resolvemos dar um novo escopo para a MT Fomento, transformando-a em Desenvolve MT, abrindo seu leque de trabalho e como o nome já diz, trazendo desenvolvimento para Mato Grosso”, reforçou o secretário.

“Temos o desafio de promover a melhoria do ambiente de negócios no Estado; ampliar a captação de recursos para novos investimentos e consolidar Mato Grosso como sinônimo de oportunidades de negócios”, completou o secretário.

Agências de Fomento

As agências de Fomento e/ou Desenvolvimento são instituições financeiras não bancárias, regulamentadas pelo Banco Central do Brasil (Bacen) por meio da resolução nº2.828/2001, que possuem entre outros objetivos cessão de crédito; financiamento de capitais fixo e de giro associado a projetos; promoção e divulgação, junto com investidores potenciais, de oportunidades e projetos econômicos de interesse do Estado e prestação de serviços de administrador de fundos de desenvolvimento, entre outros.

Por GCom

8423O transporte escolar é um dos direitos básicos do aluno e sua manutenção está entre os desafios do poder público. A secretária de Estado de Educação, Marioneide Angélica Kliemaschewsk, afirma que com os repasses do novo Fundo Estadual de Transporte e Habitação (Fethab), proposto pelo Governo do Estado, será possível assegurar a melhoria da prestação desse serviço em Mato Grosso. 

“A Secretaria de Estado de Educação (Seduc) se sente honrada em poder colaborar no processo de conclusão da cidadania e o Fethab será importante para isso”, frisa Marioneide. A secretária explica que implementar o Programa Nacional de Apoio ao Transporte do Escolar (PNATE) ainda é um obstáculo à administração pública e que precisa ser superado. 

"Esse serviço custa hoje R$ 102 milhões (ano em MT) e apenas pouco mais de R$ 4 milhões vem do governo federal. O restante é proveniente da Fonte 100 do Estado (receita própria), que tem capacidade limitada e isso dificulta os repasses aos municípios”.

Os recursos do Fundo vêm justamente para assegurar o transporte escolar, fazendo com que o aluno chegue em tempo hábil à escola. “Sem o Fethab nós não conseguiremos realizar de forma satisfatória esse serviço”, ponderou Marioneide.

Assistência Social

O dinheiro do Fethab também chegará em boa hora e dará respaldo aos programas da Secretaria de Estado de Trabalho e Assistência social, que atendem principalmente cidadãos em situação de grande vulnerabilidade social. 

“É um recurso de fundamental importância e que vem a contribuir muito com nossos projetos e programas, impactando diretamente na vida da população mato-grossense”, afirmou a secretária da pasta, Rosamaria Carvalho.

Conforme a secretária, está sendo conduzida uma avaliação de todas as ações da pasta para definir as prioridades da gestão. “O Fethab vai fortalecer financeiramente a secretaria como um todo”.

Projeto de Lei

O Governo do Estado enviou na segunda semana de janeiro à Assembleia Legislativo uma proposta que altera a Lei do Fethab. Na prática, a mensagem propõe ampliação da arrecadação com mudanças nas alíquotas que incidem sobre a comercialização de produtos do agronegócio, incluindo as operações voltadas à exportação.

Pelo Projeto de Lei, 65% dos repasses ao Fethab serão destinados ao Tesouro Estadual, visando investimentos em ações nas áreas de segurança pública, educação e assistência social. A mensagem integra o pacote de leis denominado “Pacto por Mato Grosso”, que busca estabelecer parâmetros legais para conter as dificuldades financeiras enfrentadas atualmente pelo Estado.

Por GCom

imagem materiaPessoas que moram em locais sem serviço regular de saúde pública poderão comprar antibióticos sem receita médica. É o que prevê o PLS 545/2018 que está em análise na Comissão de Assuntos Sociais (CAS). A intenção é garantir o tratamento em locais com dificuldade de acesso a serviços médicos.

— O que precisamos, claro, é de saúde com acesso gratuito e universal para que todos tenham diagnóstico e prescrição médica. Mas, enquanto esse sonho não se concretiza, precisamos garantir o acesso da população a esses medicamentos em localidades que não possuam atendimento médico e serviço de saúde pública regular — explicou o senador Guaracy Silveira (PSL-TO), autor do texto.

A exigência de retenção de receita médica para os antibióticos é uma determinação da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) desde 2010. De acordo com resolução da agência, a venda desse tipo de remédio só pode ser feita com uma receita dupla em que uma via é retida pela farmácia e a outra permanece com o cliente. Para o senador, a medida é resultante do corporativismo dos médicos e dificulta o acesso da população ao tratamento.

— Trago um exemplo para explicar melhor minha indignação: a Amoxicilina, antibiótico muito usado para combater dores simples de garganta, custa R$ 16 nas farmácias de Brasília. Mas a consulta médica para se conseguir a receita custa R$ 200, R$ 300. Isso está certo? Isso é justo com a população mais pobre?

A dispensa de receita prevista no texto se aplica tanto aos antibióticos isolados quanto aos associados a outras substâncias na fórmula.

O texto ainda não tem relator e a decisão da CAS será terminativa. Isso significa que, se aprovado, o projeto seguirá diretamente para a Câmara dos Deputados, a menos que haja recurso para a análise pelo Plenário do Senado.

Por Agencia Senado

237095ea3ef8373e374311e7caf8522cO Ministério Público do Estado (MP-MT) fez duras críticas a prefeita cassada de Juara (664 km de Cuiabá), Luciane Bezerra (PSB) numa ação civil pública movida pelo órgão contra a ex-gestora. Para o MP-MT, Bezerra foi “repugnante” e agiu por “vingança” ao ameaçar os vereadores do município para tentar se manter no poder.

Segundo informações da ação civil pública, ingressada pelo MP-MT no último dia 9 de janeiro, a prefeita cassada teria agido em conjunto com seu marido, o deputado estadual Oscar Bezerra (PV), além de um jornalista de Juara, para pressionar os vereadores a não cassá-la. A denúncia revela que caso os membros da Câmara votassem contra a então prefeita - como de fato ocorreu em julho de 2018 -, recursos no valor de R$ 13 milhões que foram destinados ao município seriam devolvidos ao Governo do Estado.

“Restou apurado que a ex-prefeita Luciane Bezerra, na tentativa de dissuadir os parlamentares locais, também por intermédio de seu esposo, o deputado estadual Oscar Bezerra, à época, e valendo-se de jornalista da cidade, Aparício Cardoso, fez chegar ao conhecimento dos vereadores, em plena sessão, que acaso o resultado da votação não fosse favorável à alcaide, todos os recursos já direcionados e incorporados ao patrimônio da municipalidade, originários de emenda parlamentar, seriam devolvidos ao Estado de Mato Grosso”, diz trecho da ação divulgada pelo site VG Notícias.

Um ofício chegou a ser enviado à Secretaria Municipal de Finanças de Juara determinando a devolução dos R$ 13 milhões após os vereadores ignorarem a suposta ameaça. A pasta, no entanto, remeteu a ordem à Procuradoria do Município que em seu parecer opinou pelo não atendimento da medida. “E nem poderia, já que a conduta descabida da requerida visava única e exclusivamente desvio de finalidade do ato administrativo, para constranger os Vereadores a votarem contrariamente à cassação do seu mandato da chefe do Executivo local”, cita.

Na sequência, a denúncia do MP-MT, que pode enquadrar Luciane Bezerra por improbidade administrativa, relata que a prefeita cassada agiu apenas por “vingança”, e que sua atitude configura um “descaso” com os cidadãos de Juara. “Ademais, cumpre registrar que, os vereadores inquiridos foram uníssonos em declarar que Luciane Bezerra tomou a decisão de devolver ao Estado os recursos financeiros que já estavam incorporados ao patrimônio municipal apenas por vingança, caso votassem a favor da cassação de seu mandato, evidenciando todo o seu menosprezo e descaso pela ordem jurídica, mormente, pelos cidadãos Juarenses”, relata o denúncia.

Indo além, o MP-MT classificou a suposta atitude de Luciane Bezerra como “repugnante” e também exige uma condenação na Justiça por danos morais à coletividade. “Ressoa repugnante à sociedade as condutas da requerida que acarretaram um prejuízo imaterial ao Município de Juara/MT, cabendo ao Poder Judiciário o banimento por meio de condenação para o fim de obstar que novos agentes públicos pratiquem atitudes análogas às da requerida, sendo imperioso, por isso, o reconhecimento do dano moral à coletividade”, disparou o MP-MT.

CASSAÇÃO

Luciane Bezerra foi cassada em julho de 2018 após uma outra ação do MP-MT denunciá-la por uma fraude na contratação de uma empresa de publicidade, realizada por dispensa de licitação. Este foi um dos fatos que motivaram a “fritura política” da ex-gestora de Juara, eleita em 2016 com 8.808 votos (55,74%).

A denúncia começou a tramitar no TJ-MT em outubro de 2017 e foi utilizada numa comissão parlamentar de inquérito (CPI) na Câmara de Vereadores para a cassação da política. O golpe mais duro contra Luciane Bezerra, porém, ocorreu em agosto de 2017 quando uma reportagem do programa Fantástico, da Rede Globo, mostrou imagens da prefeita cassada recebendo maços de dinheiro vivo das mãos de Silvio Correa – ex-Chefe de Gabinete do ex-Governador Silval Barbosa.

O suposto ato de corrupção teria ocorrido quando Luciane Bezerra ainda era deputada estadual da Assembleia Legislativa de Mato Grosso de onde saiu no início de 2014. Ela é esposa do deputado estadual Oscar Bezerra, que não conseguiu ser reeleito.

O atual chefe do executivo de Juara foi vice na chapa da prefeita cassada,  Carlos Amadeu Sirena (PSDB).

Por Folha Max

WhatsApp Image 2019 01 18 at 13.56.17Com participação maciça de servidores, de autoridades políticas e de pequenos produtores rurais mato-grossenses, a Assembleia Legislativa realizou, hoje pela manhã, audiência pública para discutir e debater manutenção dos serviços da Empaer em Mato Grosso. 

Representando o Poder Legislativo do município de Claudia, estiveram presentes na audiência, o presidente da Câmara, vereador Ebenezel Darby dos Santos (PMDB) e o ex-presidente da Casa de Leis, vereador Marciel Pereira Ricarte (PMDB).

Na audiência, a diretora financeira do Sinterp/MT  (Sindicato dos Trabalhadores de Assistência Técnica, Extensão Rural e Pesquisa Pública de Mato Grosso), Ellen Silva Costa, afirmou que a Emapaer atende cerca de 105 mil famílias de pequenos agricultores em todo o estado de Mato Grosso e que a empresa está presente em cerca de 90% dos municípios mato-grossenses.

“Temos mais de mil pequenos agricultores no município de Claudia, que com o apoio da Empaer está se fortalecendo, neste momento é preciso pensar no colegiado, porque os mais afetados serão os pequenos. Antes de qualquer decisão, é preciso ter um diálogo e ver todas as possibilidades”, salientou o presidente da Câmara.

Empaer

Em Mato Grosso, o serviço de extensão rural foi constituído oficialmente em 15 de setembro de 1964. A Empresa Mato-grossense de Pesquisa, Assistência e Extensão Rural (Empaer) foi criada em 1992 através da fusão entre a Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural (Emater-MT), a Empresa de Pesquisa Agropecuária (Empa) e a Companhia de Desenvolvimento Agrícola (Codeagri).

Hoje, a Empaer é uma empresa pública do Estado de Mato Grosso, vinculada à Secretaria de Estado de Agricultura Familiar e Assuntos Fundiários (Seaf), que trabalha ao lado dos agricultores familiares, incentivando boas práticas rurais e difundindo novas tecnologias para gerar e garantir o desenvolvimento econômico, social e ambiental da família rural.

 Com Assessoria AL

55419 0 grCom o intuito de angariar recursos para o município de Poconé, a vereadora Camila Silva (PP), se reuniu hoje (18.01), pela manhã, com o Secretário de Estado das Cidades, Wenner Santos.

Camila apresentou o projeto de uma rotatória para praça da matriz ao lado da casa das festa, e um projeto de 5 quilômetros de ciclofaixas compartilhada para aqueles que estão caminhando na região da MT 060 e na Estrada Parque MT 370. Além da apresentação desses dois projetos, a vereadora salientou sobre as casas populares no município, que estão com obras paralisadas.  

“Pedi recursos através de emendas parlamentares para a manutenção da malha viária do nosso município e a construção de novos asfaltos nos bairros que estão passando por muita dificuldade como buracos, lama e poeira, causando problemas de saúde e também prejuízos financeiros para população Poconeana”, informou a parlamentar.

201901180177517102929777001Ronaldo Quintão (PP), Melquezedeque Ferreira Soares (MDB), Hélio da Nazaré (PSD) é Professor Sebastian (PSB), participaram da Audiência Pública em defesa da Empresa Mato-grossense de Pesquisa, Assistência e Extensão Rural (Empaer-MT).

O convite ao Poder Legislativo Municipal foi feito por servidores do órgão e por pequenos produtores que vêem prejuizo na proposta de extinção de empresas públicas, defendida pelo governador Mauro Mendes (DEM).

"Visto isso, estamos expondo a situação e solicitando o apoio pessoal e institucional de todos que conhecem nosso trabalho e reconhecem a importância da Empaer para a produção agropecuária, principalmente da Agricultura Famíliar responsável pela produção de mais de 70% dos alimentos que chegam a nossa mesa, para a manutenção das famílias no campo diminuindo o êxodo rural, para produção sustentável com responsabilidade ambiental agredindo o mínimo possível a fauna, flora e recursos hídricos, entre outras diversas atuações", justifica o convite recebido pelos vereadores.

Para os parlamentares, a agricultura familiar de Mato Grosso precisa é de mais investimentos em assistência técnica capacitada. Neste sentido, avaliam os vereadores, qualquer medida a ser implementada deve ser muito bem discutida para que não haja prejuízo ao atendimento do homem do campo.

A audiência é realizada no Plenário Deputado Renê Barbour, na Assembleia Legislativa de Mato Grosso e conta com a presença do deputado estadual eleito pela Região de Tangará da Serra, Doutor João José de Matos.

Por Diário da Serra

Página 1 de 15
© Todos os direitos reservados a UCMMAT