Ministro da Saúde garante que “não deixará Santa Casa na mão” e anuncia campanha

dc80aaced00f1d9fef156e6ee658430fO ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, garantiu nesta quinta-feira, 14, que irá empenhar os esforços necessários para manter o pleno funcionamento da Santa Casa de Misericórdia de Cuiabá. “Sou nascido em Mato Grosso, na cidade de Campo Grande, capital Cuiabá, em 1964. Não vou deixar a Santa Casa na mão” – disse o ministro, ao ouvir do senador Wellington Fagundes (PR-MT) relato da situação da unidade hospitalar, que anunciou a suspensão de internações desde a última segunda-feira, 11.
 
“Estou fazendo um pedido em nome da bancada federal e também dos deputados estaduais, como um todo, por uma solução” – acrescentou o republicano, que considerou como ‘inadmissível’ o fechamento de leitos hospitalares diante de um quadro crítico na área da saúde.
Segundo ele, o anunciado fechamento da Santa Casa gerará prejuízo, sobretudo, à população mais carente, que depende de atendimento médico-hospitalar gratuito. Desde a segunda-feira, 11, os atendimentos foram suspensos no hospital por falta de recursos e dívidas com fornecedores e trabalhadores. Diante da situação, a Câmara de Vereadores de Cuiabá pediu a intervenção do Executivo na unidade.  
Ainda conforme assessoria de Fagundes, na quarta-feira (13), ocorreu uma reunião da bancada federal e um dos assuntos abordados foi justamente a questão envolvendo a Santa Casa. Observou que a bancada federal está comprometida com a saúde pública e, no ano passado, decidiu alocar R$ 165 milhões da emenda de bancada para o setor.

Reunião:
 
Fagundes anunciou que na próxima segunda feira (18), deverá ocorrer uma reunião com o governador Mauro Mendes e também com o prefeito Emanuel Pinheiro, para definir um planejamento que possa dimensionar soluções de investimentos na saúde pública em Cuiabá.
“Sempre trabalhamos para melhorar o atendimento. Por isso é essencial o planejamento. Fizemos isso no Governo anterior, inclusive com audiência pública no Senado, mas não obtivemos as respostas. Esperamos avançar nessa questão agora” – observou. Wellington manifestou também preocupação com o funcionamento das unidades hospitalares em vários outros municípios do Estado.
 
Por Olhar Direto
© Todos os direitos reservados a UCMMAT