Vereadora relata drama que viveu durante 6 horas que foi refém de bandidos

Mantida refém por 6h, a vereadora por Nobres (a 151 km de Cuiabá) Zilmai Ferreira de Jesus (DEM) afirma que quatro sequestradores encapuzados queriam pegar explosivos de sua empresa, uma detonadora de rochas, para assaltar caixas eletrônicos de instituições financeiras. “Hoje vamos estourar caixa eletrônico”, disse, reproduzindo a fala de um dos assaltantes, a parlamentar ao Rdnews.   .

Zilmai teve a casa invadida por volta das 5h dessa sexta, no bairro Jardim Petrópolis, em Nobres. A vereadora relata que tem costume de ir nesse horário à igreja. No dia, quando abriu a porta da casa para ter acesso ao quintal e colocar os sapatos, foi rendida pelos sequestradores. No momento, seu marido e filho estavam dormindo. “Eles (assaltantes) me pediram para eu ficar quieta e colaborar”, relata.

Após render a vereadora, os suspeitos queriam o dinheiro do pagamento dos funcionários. No entanto, Zilmai disse que já havia feito e que não tinha nada. Após insistência, entregou R$ 2,5 mil que era para pagamento de um consórcio. “Tinha dois que não falavam nada e outros dois que falavam mais comigo”, lembra.

Com o dinheiro em mãos, os quatros suspeitos pegaram o carro da vereadora, a colocaram no banco de passageiros e foram até a casa de seu cunhado, pois os sequestradores afirmavam que a chave da empresa, para pegar os explosivos, estava em posse do cunhado. Entretanto, a vítima negou que a chave ficasse com ele.

Diante disso, partiram para a porta da empresa. No local, os quatro assaltantes com a vítima ficaram por 40 minutos para esperar a pessoa que tinha posse da chave. Nesse tempo, segundo a vereadora, houve um desentendimento entre os suspeitos e uma outra equipe que estava na retaguarda. “Os caras ficaram bravos, xingaram e, um deles, muito nervoso, falou que tinha que me matar”, relata a vereadora, acrescentando que os outros desistiram da ação.

Com a frustação, os bandidos partiram rumo a Cuiabá com a vereadora. Na região do Sucuri, próximo ao Rodoanel, a vítima foi deixada num matagal e orientada e deixar o local somente após uma hora. “Ameaçaram matar meu filho e meu marido caso saísse antes. Nessa hora fiquei remoendo e chorando com medo de que acontecesse algo”, disse.

Por volta das 11h, a vítima deixou o local e conseguiu encontrar um mecânico que estava arrumando um carro na beira da estrada. E depois acionaram a polícia. Ainda não há informações sobre os suspeitos.

Fonte: Aragua Notícias

© Todos os direitos reservados a UCMMAT