Câmara deve avaliar hoje se cria CPI para investigar irregularidades em contrato

Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para apurar possíveis irregularidades na contratação da empresa ETC, requerida em 05 de fevereiro, ainda não foi instaurada pela Câmara. O documento passa pela análise jurídica do Legislativo. Segundo o presidente da Câmara Ademir Bortoli (MDB), o resultado será apresentado pelo jurídico durante a sessão ordinária de hoje (26).

De acordo com o presidente, não houve demora na análise do jurídico, pois o parecer estava previsto para ser apresentado após o feriado de carnaval. O vereador Leonardo Visera (Progressistas), que requereu a instauração da CPI, acredita que o fato da prefeita ter em sua base a maioria dos vereadores não deve interferir na instalação da Comissão e nem no andamento.

“Fizemos o nosso papel de fazer a denúncia, de provocar a Câmara para que seja instaurada a CPI e acredito que não teremos entraves até porque obtivemos assinaturas de 11 dos 15 vereadores”, expôs o progressista.

O contrato foi assinado pela prefeitura e firmado em 2014, ainda na gestão do ex-prefeito Juarez Costa (MDB). A prefeita Rosana Martinelli (PR) afirma que respeita a decisão dos vereadores em implantarem a CPI, principalmente pela garantia da independência dos Poderes.

 

A empresa foi contratada para fazer um conjunto de obras de asfalto, ciclovia e calçadas, realizadas nos bairros Europa, Oliveiras, Violetas, Imperial, Vitória Régia, Santa Rita, Novo Estado, Ipês e Maria Carolina no valor de R$ 54 milhões. Até o momento a empresa teria entregado obras que custariam R$ 51 milhões aos cofres públicos e recebido pouco mais de R$ 49 milhões.

Fonte: RDNews

© Todos os direitos reservados a UCMMAT